Carcinoma basocelular


A influenciadora italiana Valentina Ferragni achava que tinha surgido uma simples espinha em sua testa, no entanto ela nunca sarava. Depois o diagnóstico mudou para cisto sebáceo. Infelizmente, para sua surpresa – e até mesmo, surpresa dos médicos – a tal espinha/cisto se tratava de um carcinoma basocelular.


De acordo com Valentina, seus médicos disseram ter sido a primeira vez viram esse tipo de câncer em uma pessoa de 28 anos, pois geralmente surgem em pessoas com cerca entre 50 e 60 anos ou mais, portanto, foi bastante difícil de diagnosticar.

O alerta é que esse tipo de câncer muda muito de ‘cara’, por alguns meses pode sumir, depois volta aos poucos, esse carcinoma pode ficar em silêncio por meses, depois começa a sangrar por dias, mas está sempre crescendo e crescendo todos os dias sob a pele.


O carcinoma basocelular é o tipo de câncer de pele mais comum, representando cerca de 95% de todos os casos de câncer de pele. Este tipo de câncer geralmente surge como pequenas manchas que vão crescendo lentamente ao longo do tempo, mas que não afetam outros órgãos além da pele. Dessa forma, o carcinoma basocelular tem ótimas chances de cura porque, na maioria dos casos, é possível remover todas as células cancerosas apenas com cirurgia, desde que diagnosticado nas primeiras fases de desenvolvimento.


Valentina extraiu o tumor há duas semanas e agora segue se recuperando.


Fiquem atentos às mudanças na sua pele e no seu corpo e não hesite em procurar um médico. Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.


#drbertelli #câncerdepele #cancerdepele #carcinomabasocelular #tumordepele

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo